CIDADANIA E ESCRAVIDÃO: O COMBATE ÀS DESIGUALDADES SOCIAIS NO BRASIL

Doriane de Oliveira Silva

Resumo

A pesquisa aborda sobre a cidadania e escravidão no que tange o combate às desigualdades sociais no Brasil. É notável que o processo de escravização teve início com os indígenas e posteriormente com os negros trazidos para o território brasileiro como mercadoria para realização de trabalhos ferrenhos e desumanos sem direitos e respeito algum as suas particularidades, cultura, modos de viver e entre outros. Sendo assim, surge a necessidade de se discutir sobre como se deu a escravidão no Brasil e suas consequências na atualidade como preconceitos, discriminação, racismos e desigualdades sociais. Com a Declaração Universal dos Direitos Humanos garante-se o direito à vida e a igualdade. Assim, é necessário fazer valer o direito do cidadão brasileiro proporcionando um país sem preconceitos. Diante disso, a problemática evidenciada pela pesquisa está pautada em identificar quais os desafios enfrentados para o combate ao racismo e preconceito na sociedade? Qual o papel da escola no combate às desigualdades sociais no Brasil? Quais as estratégias para valorização da cultura e identidade negra na escola? Objetiva-se por meio da pesquisa compreender sobre cidadania e escravidão no Brasil evidenciando a necessidade do combate às desigualdades sociais presentes na estrutura do país; analisar a escravidão indígena e negra presente na história do Brasil; descrever preconceitos e racismo presentes na sociedade brasileira desde o período colonial; reconhecer a necessidade de ações para valorização da cultura e identidade negra e afrodescendente na escola e fora dela priorizando a inclusão, compreensão da cultura africana na construção da cultura brasileira, cidadania, respeito e aceitação. A pesquisa caracteriza-se como um estudo de cunho bibliográfico com a realização da análise das obras Carneiro (2011), Miranda (2006), Pinsky (2010) realizando-se inicialmente os recortes necessários para construção de referencial teórico. A pesquisa também é de método qualitativo com abordagens descritivas e explicativas para melhor análise e compreensão dos fenômenos e abordagens realizadas pelo estudo. Sendo assim, os métodos utilizados permitem maior seriedade nas abordagens e confiabilidade na execução das etapas e nos resultados alcançados por este. A pesquisa divide-se em três etapas essenciais e como resultados foi possível identificar que grande parte das desigualdades sociais presentes na sociedade brasileira nos dias atuais é advinda dos quase 400 anos de escravidão dos negros. Perante isso, permitiu ainda por meio das aulas construídas formular estratégias para valorização da identidade e cultura negra para preservar as heranças culturais desses povos, dando o devido valor as suas contribuições na formação da sociedade brasileira, reconhecendo-os como sujeitos históricos e dotados de direitos.

Palavras-Chave: 

Escravidão; Cidadania; Desigualdades.

PDF_ico.png