BILINGUISMO PARA OUVINTES NA PROMOÇÃO ESCOLAR PARA INCLUSÃO DE DISCENTES COM SURDEZ POR MEIO DA LIBRAS

Erisvelton Sávio Silva de Melo, Emilly Carolina Héstia Sobral de Melo

Resumo

O artigo tem por objetivo refletir sobre a proposta do bilinguismo por meio da LIBRAS a discentes ouvintes, na perspectiva de sensibilizar para promover à inclusão de pessoas surdas. A inclusão, encontra-se embasada em algumas leis que pretendem inserir nos currículos escolares a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS. Com isso, reflete-se sobre o ensino da Língua Brasileira de Sinais para pessoas ouvintes como segunda língua utilizada para comunicação, a fim de que discentes, com surdez ou ouvinte, possam estabelecer comunicação de forma eficaz e inclusiva. Há instituições escolares que já trabalham com a inclusão de pessoas surdas dispondo de Atendimento Educacional Especializado, docentes tradutores, mas não preveem em seu currículo a oferta da disciplina de LIBRAS. Dessa forma, o contexto trazido para esta reflexão, configura-se na ideia de ouvintes e pessoas surdas estar em contato direto em âmbito escolar e social. Todavia, é apontado na pesquisa que as proposições lançadas nas políticas públicas inclusivas e nos embasamentos jurídicos, acontecem de forma simplória e, por vezes, não são suficientes para dar encaminhamentos plausíveis nesse processo. Consequentemente, se adotada e pensada uma proposta bilíngue para pessoas surdas e ouvintes, o processo de inclusão educacional e social tornar-se-á possível de acontecer com uma comunicação efetiva e real.

Palavras-Chave: 

Bilinguismo; Inclusão; LIBRAS; Ouvinte; Surdez.

PDF_ico.png