TRABALHANDO POESIA EM SALA DE AULA COM ROSEANA MURRAY

Silvina Fátima Ramos Ribeiro

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir sobre as dificuldades docentes em trabalhar com o texto poético em sala de aula e trazer algumas possibilidades estratégicas que buscam tornar a leitura e a escrita poética mais atrativa, a fim de formar leitores com habilidades de leitura, compreensão e escrita: Freire (1989), definiu a leitura como uma “operação inteligente, difícil, exigente e gratificante”, e assim é considerada um “estado de arte”. É por meio dela que o homem é capaz de compreender o mundo das palavras e da vida. A leitura real e verdadeira é aquela na qual nós lemos, relemos, paramos para saboreá-la ou para refletir. E é essa leitura que devemos oferecer aos nossos educandos. Escrever é outra arte. Pablo Neruda, poeta e escritor chileno, brinca com o assunto: “ Escrever é fácil. Você começa com uma letra maiúscula e termina com um ponto final. No meio, você coloca as ideias.” Mas onde buscar essas ideias? Na leitura, que abastecerá o arquivo mental com ideias, informações, inquietações, reflexões, posicionamentos, criatividade, sensibilidade, vocabulário. Associar leitura e escrita de textos poéticos, que são focos deste artigo, em sala de aula, facilitará nosso educando a produzir. Para alcançar o objetivo, vamos buscar na poesia de Roseana Murray a nossa inspiração.

Palavras-Chave: 

Educação; Aprendizagem; Poesia.

PDF_ico.png