O SOFRIMENTO PSÍQUICO CONTEMPORÂNEO: SINTOMATOLOGIA E MECANISMOS INCONSCIENTES

Jamil Torquato de Melo Filho, Eduardo Marques Zan

Resumo

A epidemiologia mensura o sofrimento psíquico como manifestação de sintoma, para a medicina uma quebra na homeostase, para a psicanálise uma formação de compromisso que sofre interferências da sociedade. O objetivo foi introduzir uma compreensão psicanalítica metapsicológica sobre como a cultura contemporânea favorece o fortalecimento das atuais sintomatologias. Realizou-se uma revisão crítica da literatura por meio do método de análise de conteúdo do material utilizado. Na tríade criança-mãe-pai freudiana, a castração paterna traduz a impossibilidade da completude do desejo culminando em subsídios elaborativos simbólicos, hoje não plenamente frustrada subverte valores que alimentavam o supereu. O sintoma com o enaltecimento fálico e a depleção simbólica, impõe ao sujeito o imperativo do gozo. Conclui-se que, tanto as transformações sociais quanto subjetivas se apresentam, não somente, como constitutivas nas atuais sintomatologias, mas no mecanismo de todas as relações do Eu que se dão de forma fantasmática.

Palavras-Chave: 

Psicopatologia; Psicanálise; Contemporaneidade; Sintoma; Epidemiologia.

PDF_ico.png