MENINOS NAS AULAS DE DANÇA: UM ESTUDO PREMILINAR

Gerusa Oliveira Mororó Aragão

Resumo

Realizamos uma pesquisa qualitativa, com crianças entre 6 e 7 anos de idade, na rede SESI-SP no Programa de Educação em Tempo Integral (PETI). Com o objetivo de analisar as percepções dos meninos em relação a dança e a percepção das meninas em relação a eles, para tal pesquisa utilizamos uma entrevista semi-estruturada, analise de fotografias, filmagens e observações de aulas. Os resultados foram positivos em relação à participação e aceitação da dança pelos meninos, e o apoio e incentivo das meninas durante as aulas. E a partir das análises feitas, concluímos que quando os alunos têm a oportunidade de vivenciar práticas corporais diferenciadas, mesmo quando estereotipadas restritas ao gênero feminino, geram-se a participação efetiva dos meninos e a aceitação perante as meninas. Fez–se necessário à realização deste estudo para servir como um alicerce à quebra de preconceitos, gerados pelos conceitos patriarcais. Além da escassez de publicações que norteiam este tema, como verificou-se em um estudo realizado por Medina e Mendes(2007), que nas publicações dos Conbraces, no período de 1975 a 2005, apenas 95 publicações das 3.060, abordavam o assunto dança. E a respeito de gênero e dança tivemos apenas cinco publicações, que corresponde a 5% e 0,16%, das 95 sobre dança e 3.060 das publicações diversas, respectivamente.

Palavras-Chave: 

Dança; Gênero; Preconceito; Papéis sociais.

PDF_ico.png