DEPRESSÃO EM PROFESSORES DO ENSINO DA REDE PÚBLICA

Wania Merbold Ramalho

Resumo

O artigo a seguir nos traz um grande alerta, a doença mas comumente chamada por distúrbio neurológico e conhecido por depressão tem alcançado grande parte do corpo docente, trazendo consigo muitas preocupações com este tipo de categoria profissional, sabemos que o modelo de ensino abortado por educadores são e sempre serão um marco histórico na vida de cada individuo pois é na escola em que aprendemos ser quem somos e de lá seguir em novas profissões. Os marcos principais que geram este estado deprimido ao professor são diversos, fatores como: condições insalubres de trabalho, pequeno espaço físico, estresse, iniciados muitas vezes por episódios de ansiedade, aos quais geram o afastamento do mesmo e que causam depressão, mas por muitos podem ser facilmente confundidos e tem menos importância. A docência vai muito além da saúde e do bem estar, a carga de trabalho para os profissionais são muito exaustivas levando grande parte adquirir problemas mentais. Outro ponto é a qualidade da educação, nasce também a preocupação de assegurar melhores condições de vida e trabalho para os profissionais da área. A responsabilidade inerente á profissão e a complexidade de ensinar gera um conjunto de condições materiais suficientes que causam estresse, cansaço, quadros de ansiedade, tristeza, desencadeando futuramente um quadro depressivo. Contando com a falta de professores nos ambientes escolares, que desencadeiam mas um grande quadro de ansiedade e carga física e mental. Por fim, o presente artigo baseia-se na proposta de desenvolver um trabalho de prevenção à doença por meio dos fatores teóricos que levaram o afastamento de professores da classe mas prejudicada que é o por muitas vezes o ensino básico na rede municipal.

Palavras-Chave: 

Transtorno mental; Depressão; Professores com distúrbio.

PDF_ico.png