O PROFESSOR E O MODELO DE ENSINO REMOTO

Felix Barbosa Carreiro, Margareth Santos Fonsêca

Resumo

Esse artigo de revisão de literatura visa analisar a atuação do professor da educação básica em relação ao ensino de modelo remoto imposto em decorrência da pandemia do novo coronavírus. A utilização das ferramentas tecnológicas e digitais desse novo método, que é emergencial, resultou no acúmulo de funções do trabalho docente, precarizando-o. Evidencia que tanto o ensino presencial quanto o professor são insubstituíveis em quaisquer processos de ensino e aprendizagem. Por isso, ressaltamos a valorização social e institucional do docente da educação básica por contribuir com a formação integral das novas e futuras gerações. Reconhecemos a relevância dos artefatos tecnológicos e digitais para a melhoria da qualidade das aprendizagens no codidiano da sala de aula, contudo chamamos a atenção quanto a utilização dessas ferramentas nos métodos e didáticas dos ensinos nas modalidades remota e híbrida. Um dos limites é o reforço às desigualdades educacionais pelo fato de que os alunos das escolas públicas em áreas de vulnerabilidades não reunirem condições para o acesso à internet de qualidade que lhes permitam participar das aulas síncronas e assíncronas com conteúdos virtuais. Desenvolvemos essa pesquisa com base em autores refenciados no assunto e em sites que abordam as questões relacionadas ao impacto da pandemia na educação brasileira.

Palavras-Chave: 

Ensino remoto; Pardemia; Educação básica.

PDF_ico.png