A ALFABETIZAÇÃO E A DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

Sandra Cristina Rizzo

Resumo

Esse estudo fez-se necessário pela necessidade de nos aperfeiçoarmos no entendimento das dificuldades que as crianças com deficiência intelectual (D.I.) possuem frente ao sistema de alfabetização. O educador precisa ser um articulador criativo que facilite a construção do conhecimento, considerando suas diferenças individuais, usando práticas heterogêneas. Incluir o deficiente intelectual na escola regular é um desafio para nós educadores, pois precisamos encontrar caminhos e meios para atuarmos com essas crianças. Os familiares, muitas vezes deixam-nas na escola sem reconhecerem que elas tem necessidades especiais, e não procuram centros de atendimentos especializados que podem expedir laudos comprovando a deficiência e assim a escola possa ser beneficiada com recursos para implantar uma sala de Atendimento Educacional Especializado (AEE). Por essa razão a educação inclusiva acaba por não existir de fato em muitas escolas. Estudamos para essa pesquisa alguns teóricos como: Sanchez(2005), Sassaki(2006), Mantoan(1997), Vygotsky(1991), entre outros. O papel do professor deve ser visto como de suma importância para a identificação de D.I., pois esse profissional tem a possibilidade de comparar o desempenho de diversos estudantes, tornando-se mais fácil para ele identificar os alunos que estão aquém do esperado.

Palavras-Chave: 

Deficiência Intelectual; Inclusão; Educação; Pesquisas.

PDF_ico.png