ENSINO SUPERIOR ANGOLANO: REDIMENSIONAMENTO E ACESSO

Teresa da Glória Paulo

Resumo

A expansão do Ensino Superior Angolano (ESA), nos últimos anos, ocorreu graças à aprovação do decreto lei Nº 7/2009, de 7 de abril do Diário da República Nº 64/2009–Iª série que deu origem à criação das sete regiões académicas, respetivamente: Universidade Agostinho Neto (UAN); Universidade Katyavala Buila (UKB); Universidade 11 de Novembro (UON); Universidade Luenji A Nkonde (ULN); Universidade José Eduardo dos Santos (UJES); Universidade Madume ya Ndemufayo (UMN); e Universidade Kimpa Vita (UNIKIVI). Cinco anos após o redimensionamento da Universidade Agostinho Neto, houve necessidade de redimensionar a Universidade Mandume ya Ndemufayo, por ser a região académica que albergava mais de três províncias com distâncias significativas entre elas. Nesta altura, foi aprovado o Decreto lei Nº 188/14 de 4 de agosto de 2014, que deu origem à oitava região académica que é a Universidade Cuíto Cuanavale (UCC), albergando as províncias do Cuando Cubango e Cunene, e deixando a Universidade Mandume ya Ndemofayo com as províncias de Lubango e Namibe. Vamos ainda ressaltar sobre o perfil de acesso ao ES bem como da avaliação das Instituições do Ensino Superior (IES). Esse redimensionamento trouxe inovações no Ensino Superior angolano, multiplicou o número de jovens que procuram por uma vaga nas Instituições de Ensino Superior e se possível na sua região. Esses estudantes chegam nas IES, nutridos com enumeras expectativas, muitas delas irrealistas.

Palavras-Chave: 

Ensino Superior; Redimensionamento; Acesso; Angola

PDF_ico.png