A INCLUSÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIAS NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO

Mariana Cociuffo Villela, Rafael Altmann Tenório Vaz, Adriana Vieira da Costa

Resumo

Consoante ao disposto no Estatuto da Criança e do Adolescente, embora a educação seja um dever legal dos pais ou responsáveis, o acesso das crianças, em especial análise, daquelas que possuem algum tipo de deficiência, pode não ser fácil. O trabalho busca responder: como funciona a inclusão de crianças com deficiências nas instituições de ensino? Neste viés, o presente artigo possui o objetivo de demonstrar, baseando-se em dados oficiais, a inserção e quantificação de crianças com deficiência que estão inseridas no seio escolar, bem como evidenciar a evolução do número de crianças com deficiências matriculadas. Com o método da quantificação, o resultado da pesquisa apresentará um índice de matriculados e a evolução ocorrida desde o início da pesquisa do Censo Escolar em 2014, tornando-se uma ferramenta aos administradores públicos, para que estes direcionem recursos necessários e esforços de políticas públicas, que findem na matrícula e permanência de alunos com deficiência no educandário. Ademais, tem-se que a relevância deste trabalho está sedimentada em assunto de cunho social e político, vez que gera direitos e obrigações, ao mesmo tempo em que flerta com itens sociais como desigualdade, educação e desenvolvimento socioeconômico do país. Logo, por meio do levantamento e compilação de tais dados oficiais, objetiva-se aclarar em qual estágio evolutivo encontra-se o nosso país em relação a inclusão das crianças com deficiência no seio escolar, tencionando o atendimento de direitos e obrigações concernentes à política pública implantada.

Palavras-Chave: 

Inclusão; Deficiências; Instituições de ensino.

PDF_ico.png