A POESIA COMO EXPERIÊNCIA NA SALA DE AULA:
UM OLHAR BACHELARDIANO

Kethullin Rezende Trindade

Resumo

Repensar a prática docente é sempre um desafio, um exercício imprescindível para o professor em seu fazer pedagógico. Neste artigo propomos uma reflexão acerca do trabalho com poesia nos anos Iniciais do Ensino Fundamental, refletindo sobre a possibilidade de experiência poética a luz da abordagem fenomenológica bachelardiana. Enveredamos por um breve percurso histórico e elencando algumas características da poesia destinada à criança com os autores Bordini (1986); Cadermatori (2000); Pondé (1990). Para discutirmos sobre experiência, Larrosa (2004) afirma que a experiência é algo que necessita de uma disposição em viver, tempo, como se pudéssemos decantar as emoções, os conceitos, as palavras, os sabores, se distanciando do imediatismo. Sob a perspectiva fenomenológica de Gastón Bachelard (1978;1988), a reflexão sobre a poesia e a possibilidade de práticas que possam viabilizar momentos de experiência poética na escola. Desconstruir e construir as práticas em relação ao trabalho com a poesia é possível, a abordagem fenomenológica é um dos meios pelos quais esse processo de repensar a prática pode ser pensado.

Palavras-Chave: 

Poesia; Prática pedagógica; Fenomenologia bachelardiana.

PDF_ico.png