LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO: A INFLUÊNCIA DA ORALIDADE NA PRODUÇÃO ESCRITA

Anésio José Sobrinho Neto

Resumo

O objetivo deste artigo é abordar as inadequações ortográficas que envolvem marcas da oralidade presentes nos textos escritos de alunos do 5º ano do Ensino Fundamental, de uma escola pública do município de Araguaína - TO. No início do estudo, foi detectado que os alunos apresentavam um sério problema quanto a qualidade na produção escrita. Durante a pesquisa bibliográfica e em todo período de observação na escola, buscou-se saber quais as influências da oralidade que estavam presentes nas produções de texto e até que ponto essas influencias interferiam na qualidade dos textos. Para tanto, embasou-se nos estudos dos teóricos Fávero (2002), Marcuschi (2005), Marcushi e Dionísio (2007). As análises constataram que, embora os alunos estejam cursando o 5º ano, as marcas da oralidade em suas produções textuais ainda são recorrentes, o que demonstra pouco conhecimento das práticas ortográficas ou domínio da norma culta. Acredita-se que a ausência de leituras significativas e orientadas pode interferir no repertório gramatical, limitando, portanto, o conhecimento de enunciados e comprometendo as competências comunicativas e discursivas adequadas ao contexto e às situações de práticas sociais as quais os alunos estão inseridos.

Palavras-Chave: 

Letramento; Alfabetização; Influencia; Oralidade; Escrita.

PDF_ico.png