ÍNDICE DE ABSENTEÍSMO ENTRE OS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM BRASILEIROS COM A PANDEMIA DO COVID-19

Paulo Roberto Rodrigues Brandão Nogueira, Márcio de Freitas Santa Ana , Elaine Gomes do Amaral, Roseli da Conceição Silva de Freitas Santa Ana

Resumo

Problemas de saúde ocupacional e questões pessoais podem interferir na qualidade do serviço do trabalhador e no aumento do índice de absenteísmo. O evento pandemia do COVID-19 no Brasil, foi uma das maiores causas de ausência no trabalho dos profissionais de saúde. Objetivo: Avaliar o impacto da pandemia do COVID-19 nos índices de absenteísmo dos profissionais de enfermagem do Brasil, a partir do primeiro evento registrado. Materiais e métodos: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura realizada a partir de estudos publicados e que abordaram as repercussões da pandemia do COVID-19 nos índices de absenteísmo de profissionais da área de enfermagem. A estratégia de busca ocorreu em três plataformas de busca da web, nas bases de dados em saúde, utilizando conceitos indexados em português, conforme os DeCS (Absenteísmo, Infecções por Coronavírus, Saúde do Trabalhador e Enfermagem). Utilizou-se o software de referenciamento bibliográfico Zotero® (Zotero®, 2020). Por se tratar de um estudo descritivo, de base meramente bibliográfica, não foi necessária a submissão para apreciação ética. Resultados: Foram analisados 14 estudos nas bases, onde se evidencia a importância do tema e a sua manifestação dentro do contexto, sendo evidenciado crescimento desse número no Estado de Minas Gerais. Considerações Finais: Os índices de absenteísmo aumentaram, significativamente, com a ocorrência de casos de Coronavírus no Brasil no estado em estudo. Esse fator na enfermagem é de grande preocupação, pois desorganiza o serviço, gera insatisfação e sobrecarga entre os trabalhadores presente e consequentemente afeta a assistência prestada ao paciente. A atenção à saúde psicoemocional dos profissionais de enfermagem deve ser considerada uma prioridade no intuito de reduzir o absenteísmo.

Palavras-Chave: 

Absenteísmo; Infecções por Coronavírus; Saúde do Trabalhador; Enfermagem.

PDF_ico.png