EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL DO DISTRITO DE TARILÂNDIA: CAMINHOS PLURAIS NA IMPLEMENTAÇÃO DO ENSINO REMOTO NO PERÍODO DE PANDEMIA

Robson Vieira Braga, Marcos Serafim dos Santos

Resumo

Para a efetuação do ensino remoto no período de pandemia, buscou-se alternativa para dar seguimento nas diversas redes de ensino. Com o objetivo de levantar as dificuldades e facilidades no Ensino Fundamental do Distrito de Tarilândia, em decorrência do isolamento social, surge, portanto essa inquietação. Para isso, pautou-se no método bibliográfico qualitativo e na pesquisa participante. Com o avanço do coronavírus, uma das principais medidas para conter a proliferação do vírus foi o isolamento social. Inúmeros setores tiveram que se readaptar, na educação não foi diferente. O uso de metodologia inovadora e utilização de aparelho eletrônico passaram a ser uma das principais ferramentas, não sendo apenas o laboratório de informática e sala de vídeo. Por outro lado, é necessário ter conhecimento das metodologias síncrona e assíncrona. Diante desse cenário, duas questões emergiram, a primeira sobre a gestão participativa de qualidade das quais, os sujeitos objeto desta pesquisa, vêm desempenhando, a segunda trata-se da gestão das emoções frente a realidade dos alunos, pais e professores. Para efetivação do ensino remoto, há inúmeros desafios que vai desde conexão da internet com o aparelho, gestão do tempo, das atividades, procrastinação ocasionando acumulo de atividades tanto para o aluno quanto para professor. Ao longo deste trabalho percebe-se que, o docente passou a ser facilitador e administrador dos alunos que realizam ou não as devolutivas, isto é, agente principal junto aos alunos nas aulas virtuais, editor de vídeo, agindo de forma humanizada somada as atribuições já existentes. Dessa forma, inquestionavelmente, conclui-se que, há o que melhorar no que concerne aos recursos destinados para aquisição de equipamentos que possibilitam a criação de estúdio de gravação, contratação de profissionais de T.I, disponibilização de chip com internet ilimitada para os alunos exclusivo pra realização de atividades, criação de canal, disponibilização de aparelho de mídia aos discentes em situação de vulnerabilidade, formação continuada aos docentes voltadas para este fazer. Conquanto, os professores não tenham formação que possibilite suas práticas neste período, incluída a falta dos recursos citados, foi possível considerar que a educação do ensino fundamental do Distrito de Tarilândia não parou.

Palavras-Chave: 

Educação; Ensino Remoto; Isolamento Social.

PDF_ico.png