O PODER DA IMAGEM NA ARTE DO CINEMA:
ANÁLISE COMPARADA DE QUATRO FILMES DE FICÇÃO CIENTÍFICA DE STEVEN SPIELBERG

Renato Plínio Romero Sanches

Resumo

De Ohio para as telas de Cinema de todo o mundo, Steven Allan Spielberg galgou uma apoteótica caminhada, cheia de vitórias, descobertas e, claro, algumas decepções. Leone (2007, p. 06), enfatiza: “não existe hoje alguém mais ‘autor’ em cinema do que Steven Spielberg, um cineasta que conjuga criação e produção, o único binômio possível para a chamada ‘autoria’”. Seus filmes sempre trazem sua marca inconfundível, mas será ela decorrente do acaso? Objetiva-se com este artigo é estudar os meios utilizados por Spielberg para garantir o poder das composições imagéticas presentes em seus filmes, em especial, suas ficções cientificas. Para isso utilizaremos um mecanismo de estudo da Arte que nos auxiliará com esta proposta: a Análise Comparada. Deste modo, selecionamos quatro de seus filmes para analisarmos comparativamente: Contato Imediatos do Terceiro Grau (1977), E.T. – O Extra Terrestre (1982), Jurassic Park (1993) e A.I. – Inteligência Artificial (2001).

Palavras-Chave: 

Steven Spielberg; Ficção Científica; Cinema.

PDF_ico.png