LEITURA E ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL:
CONCEPÇÕES PEDAGÓGICAS REFERÊNCIAS E PRÁTICAS NA LEITURA

Kátia Maria de Brito Meneses

Resumo

A linguagem escrita está presente em situações do cotidiano de muitas crianças, mas ela circula de formas muito distintas e com significados diversos entre os grupos sociais. Cabe à Educação Infantil ampliar as experiências culturais das crianças, socializando os seus saberes e conhecimentos disponibilizando outros, favorecer a expressão das crianças em todas as formas, valorizando as diferentes linguagens. A linguagem escrita faz parte do contexto educativo, é uma entre as outras. Apropriar-se de uma linguagem – de uma nova forma de se expressar e de se comunicar como o outro – é algo bastante complexo. A apropriação é um processo relacionado à imersão, ao interesse. Não cabe à Educação Infantil ter como objetivo a sistematização formal desse processo de apropriação no coletivo das crianças – um grande diferencial entre pré-escola e Ensino Fundamental é justamente o espaço de liberdade e de possibilidades de expressão. As crianças são diferentes entre si, têm experiências e interesses distintos. Muitas delas iniciam seu ingresso à escola aos quatro anos, e é justamente nesse momento que começam a ter uma maior aproximação com a linguagem escrita. “As crianças e os livros”, Colomer(2010), proporciona uma reflexão sobre livros e leituras na Educação Infantil, dando elementos para a escolha de livros a serem lidos com e para as crianças e para práticas de leitura na escola.

Palavras-Chave: 

Crianças; Livros; Educação Infantil; Formação; Referências na metodologia; Práticas de leitura na escola.

PDF_ico.png