CANUDOS: DA PERSEGUIÇÃO AO MASSACRE

Narapoam Soares de Souza

Resumo

O artigo objetiva descrever a situação social da comunidade de Canudos, a falta de oportunidades desses sertanejos durante décadas e o descaso das autoridades que os vitimaram. Para a sua realização, utilizou-se metodologicamente da pesquisa bibliográfica. Nos resultados aponta-se o flagelo da seca de 1877-1879, que os deixa sem nenhuma perspectiva de vida, tendo que ir peregrinar a procura de solução para os seus problemas, dentre os quais se destacavam a sede e a fome. Aborda a chegada do cearense Antônio Conselheiro à Bahia, por volta de 1876, o estabelecimento da comunidade de Canudos sob sua liderança e a rejeição dos governantes e dos fazendeiros que os perseguiram. Procura mostrar que o fortalecimento da comunidade de canudense desagradou muito a Igreja e ao Governo que atacou fortemente o povoado de Canudos que reagiu como pode. Por quatro vezes foram atacados e nas três primeiras tentativas o governo não obteve êxito. Porém, buscou apoio de tropas federais, e assim arrasou a comunidade de Canudos num massacre cruel, em que morreu Conselheiro e muitos inocentes ali instalados.

Palavras-Chave: 

Massacre; Comunidade; Governo.

PDF_ico.png