MÃO DE OBRA PRISIONAL, E A RESSOCIALIZAÇÃO

Diego Calafiori Pontes Caldas, Giuliano Aldavez Nogueira, André Boaz Mott

Resumo

O presente trabalho trata acerca da mão de obra prisional e a importância da utilização de penas alternativas e outras medidas voltadas para a ressocialização de detentos. A lei prevê a utilização da mão de obra prisional, podendo ocorrer tanto no âmbito interno como externo do estabelecimento prisional, gerando benefícios de renda e socializantes para o prisioneiro. A problemática a ser tratada no presente estudo resume-se na seguinte indagação: De que maneira a mão de obra prisional pode ser utilizada como medida ressocializante? Os objetivos do presente artigo se resumem no estudo acerca das medidas alternativas e ressocializantes aplicadas ao indivíduo submetido às penas de restrição de liberdade, bem como a utilização da mão de obra prisional. A metodologia escolhida foi a revisão bibliográfica, realizada por meio da seleção de artigos em base de dados como o SciElo e Lilacs e outras obras de autores relevantes da área em estudo. Os benefícios trazidos pela utilização da mão de obra prisional atingem não só os detentos, mas também as empresas conveniadas e a sociedade de forma geral.

Palavras-Chave: 

Ressocialização. Mão de obra prisional. Benefícios.

PDF_ico.png