A UNIVERSIDADE E UNIVERSITÁRIO INDÍGENA:
DA RELAÇÃO DE PODER ÀS TROCAS DE SABERES

Umberto Euzebio

Resumo

A questão indígena ganha maior visibilidade com a Constituição de 1988 que possibilita políticas de ações afirmativas para o acesso de povos originários às universidades públicas. Essa práxis, provoca reações no ambiente acadêmico, exigindo mudanças para o acolhimento e permanência destes universitários. Assim, na Universidade de Brasília - UnB, são incorporadas disciplinas introdutórias contextualizadas devido à grande dificuldade de aprendizagem apresentada pelos estudantes indígenas. O objetivo foi refletir a partir de pesquisa qualitativa, sobre as consequências da introdução dessas disciplinas, na integração acadêmica e no aprendizado de universitários indígenas. Como resultado, essa prática foi expressiva no processo de integração evidenciando que a universidade deve estar aberta para ações diferenciadas contribuam para o processo de formação profissional e inclusão.

Palavras-Chave: 

Educação Superior Indígena; Povos originários; Ações afirmativas.

PDF_ico.png