A PROGRESSÃO GEOMÉTRICA E O NOVO CORONAVÍRUS NO BRASIL

Cleomacio Miguel da Silva, Gentil Fideles Cavalcanti Filho

Resumo

A matemática foi de grande destaque no ano de 2020, à medida que a pandemia de Covid-19 se espalhou pelo mundo com consequências devastadoras. Quando se abre um site de notícias, observam-se muitos gráficos e tabelas como nunca antes. O crescimento exponencial está se tornando famoso à medida que os casos dobram, e um único portador pode levar a enormes cadeias de infecção. Quando o governo do Reino Unido decidiu aumentar drasticamente as medidas de isolamento, foi em resposta à pesquisa de cientistas do Imperial College London, chefiado pelo professor Neil Ferguson, um epidemiologista matemático. Seu trabalho de modelagem matemática mostrou que o Reino Unido sofreria 500.000 mortes, caso nenhuma ação mais firme não fosse tomada, levando à decisão do governo de fechar efetivamente o Reino Unido. A Grã-Bretanha foi bloqueada com base em conselhos matemáticos, salvando vidas e evitando que o sistema de saúde ficasse sobrecarregado. Sendo assim, e dentro deste contexto, o objetivo do presente trabalho foi utilizar a progressão geométrica para estudar o crescimento do número de casos de pessoas contaminadas com o Covid-19 no Brasil. Para tanto, utilizou-se a planilha Excel® para simular o crescimento exponencial dos dados. Os resultados obtidos mostraram que a progressão geométrica pode ser utilizada em sala de aula, para se entender o crescimento de uma determinada pandemia.

Palavras-Chave: 

COVID-19; Simulação Computacional; Métodos Computacionais; Modelagem Matemática.

PDF_ico.png