BRINCAR NA PERIFERIA:
A BRINCADEIRA COMO ATO DE RESISTÊNCIA

Janaina Ferreira da Silva

A brincadeira faz parte da cultura da infância, brincando a criança se apropria do ambiente, constrói suas relações, a sua linguagem, suas habilidades emocionais, cognitivas e intelectual ou seja brincar é fundamental para o desenvolvimento da criança. No Brasil, o direito de brincar está presente na Constituição Brasileira (Art. 227;1988), no ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente (Art. 16;1990), na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (1996), na Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (2016), e no Marco Legal da Primeira Infância (Art. 17;2016).Apesar de vários documentos oficiais garantirem esse direito, na periferia o ato de brincar também faz parte de um movimento de resistência, as crianças periféricas lutam por espaços e por possibilidades de um brincar livre, tentam criar condições para uma vivência plena da infância. Brincar é fundamental para o desenvolvimento social da criança e pode ajudar a criar uma sociedade mais justa com uma cultura de paz.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Brincadeira na Periferia; Brincar e Resistencia; Brincar Livre

Baixar texto completo

PDF_ico.png