A BIDOCÊNCIA COMO COLABORADORA NA ALFABETIZAÇÃO NO SEGUNDO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Andréia Vollkoff Curto

Heliane Socorro de Moraes

Laudemir Garboza

Esta pesquisa tem por objetivo analisar a bidocência como colaboradora na alfabetização do primeiro e segundo ano do ensino fundamental. Trata-se do conceito e da aplicabilidade da bidocência nas práticas pedagógicas para a alfabetização. A metodologia utilizada faz uso dos relatos e das práticas pedagógicas de duas professoras que atuam, uma como regente de ciências e a outra como professora especializada na sala do segundo ano do ensino fundamental na rede municipal de ensino. A pesquisa sobre a bidocência busca a inclusão do aluno com ou sem deficiência em sala de aula no que tange a alfabetização de alunos do segundo ano do ensino fundamental. A pesquisa aconteceu in Loco e o objeto da pesquisa é a análise bibliográfica somada com a observação semanal nas turmas de segundo ano do ensino fundamental de uma escola Municipal da região Sul de Campo Grande/MS, tendo como sujeitos/atores/agentes, a docente que ministra ciências, a docente especialista em Educação Especial e os 04 alunos regularmente matriculados. O objetivo principal da pesquisa é a conceituação da bidocência como co-ensino ou ensino colaborativo entre professores regentes e professores especializados, os quais atuam no ensino fundamental tendo como base a relevância do ensino colaborativo em uma sala do segundo ano do ensino fundamental. Não tivemos por objetivo retratar, exclusivamente a educação especial, mas sim, a inclusão de todos os alunos, com ou sem deficiências, em uma sala de aula, considerando as dificuldades de cada aluno no processo de alfabetização. Outro objetivo relevante na investigação desta pesquisa foi a prática pedagógica, onde a sala de aula é um espaço de convívio das diferenças, e isso significa enfrentar os desafios para efetivamente favorecer o aprendizado.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Bidocência; Ensino colaborativo; Inclusão.

Baixar texto completo

PDF_ico.png