O PAPEL DA DANÇA NA EDUCAÇÃO

Roberta Rinaldi

Atualmente, a dança na vida da criança deixou de ser somente uma formação artística, e passou a fazer parte do seu desenvolvimento como ser humano consigo mesmo, com o outro e com seu meio. Isso, pois como diz Achcar (1998), a dança desenvolve estímulos como: tátil, visual, auditivo, afetivo, cognitivo e motor. Além de favorecer aspectos como criatividade, musicalidade, socialização e conhecimento da dança em si. Na fase de iniciação do aprendizado, seja qual for o estilo de dança escolhido, há necessidade de que as aulas possuam um caráter lúdico e bem dinâmico para que as aulas se tornem, antes de mais nada, algo prazeroso. E ao mesmo tempo, será trabalhado itens básicos e necessários para que, gradativamente, as exigências técnicas vão aumentando, pois a dança proporciona o conhecimento do corpo, noções de espaço e lateralidade, a princípio. A dança, portanto, é um benefício! A criança adquire confiança e maturidade, desenvolvendo habilidades e luta pela conquista. Vê-se nos estudantes de dança facilidade em se sociabilizar, o senso de confiança física e mental, boa postura, habilidade corporal, compreensão da relação entre música, ritmo e movimento, promovendo o conhecimento e o apreço por outras formas de arte, beneficiando-os em vários aspectos de suas vidas.
A dança enquanto um processo educacional, não se resume simplesmente em aquisição de habilidades, mas sim, poderá contribuir para o aprimoramento das habilidades básicas, dos padrões fundamentais do movimento, no desenvolvimento das potencialidades humanas e sua relação com o mundo. O uso da dança como prática pedagógica favorece a criatividade, além de favorecer no processo de construção de conhecimento.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Dança, habilidade, socialização e processo ensino aprendizagem.

Baixar texto completo

PDF_ico.png