A ESCOLA EM TEMPO INTEGRAL E O ACESSO AO ENSINO SUPERIOR: UM RECORTE QUANTITATIVO E QUALITATIVO
DE DOIS MUNICÍPIOS PERNAMBUCANOS

Maria José Alves de Souza

Elton Gomes dos Reis

Este artigo tem como objetivo estabelecer uma relação entre a escola em tempo integral e o acesso ao ensino superior, por meio de um estudo exploratório, pesquisando dados estatísticos do quantitativo de estudantes matriculados no ensino médio e aprovados em vestibulares de 2005 a 2018, analisando a importância do ensino em tempo integral na preparação destes jovens para progredirem em seus estudos. Como hipótese observa-se que o ingresso no ensino superior, na história do Brasil, sempre foi relegado aos mais favorecidos economicamente ou a um percentual ínfimo de alunos que extraordinariamente conseguiam se sobressair dentre os mais privilegiados. A pesquisa permeada por um estudo exploratório de campo quantitativo e qualitativo com recorte de duas Escolas de Referência em Ensino Médio do Agreste Setentrional de Pernambuco. As contribuições dos autores: Arroyo (2010, Cavalieri (2012), Freire (2005), Guara (2006), Rocha, Silva e Correia (2017), Saviani (2014), Teixeira (1994), entre outros. Os instrumentos de coleta de dados foram baseados nos estudos Gil (2010), Lakatos e Marconi (2002), Magalhaes e Azevedo (2015), Minayo (2012), Tardif e Lessard (2005), além de outros. Os resultados demonstram que a escola integral tem contribuído para o aumento no número de ingressantes no ensino superior, mas apontam desafios no que se refere a permanência dos estudantes na escola. Dessa maneira espera-se que esta pesquisa contribua para demonstrar que a educação em tempo integral favorece o acesso ao ensino superior das classes menos privilegiados, e assim faz-se necessário um maior investimento dos recursos públicos no fortalecimento da educação integral.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Baixar texto completo

PDF_ico.png

Escola em Tempo Integral; Ensino Superior; Acesso ao Ensino Superior.