RELAÇÃO DA POLÍTICA SOCIAL DE EDUCAÇÃO COM OS PROGRAMAS ASSISTENCIAIS NO MERCOSUL

Sérgio Luiz da Silva

Resumo

Por meio da relação e integração de ações sociais direcionados a ampliação de espaços para a participação social firmados por representantes de Estado, há o fortalecimento da instituição democrática no Mercado Comum do Sul – MERCOSUL. Questões que estavam invisibilizadas passaram a fazer parte do centro das discussões sobre o destino do bloco internacional, como a de movimentos negros, mulheres, juventude, direitos humanos, meio ambiente, saúde e educação. Nesse sentido, o artigo tem como objetivo compreender as relações entre os programas de assistência firmados pelo Mercosul e a educação. A pesquisa foi realizada a partir do procedimento metodológico da revisão de literatura com abordagem qualitativa, em consulta a autores como Jacobi (2002), Sadek (2002), Medez (2000), entre outros. Com a pesquisa foi possível compreender que a América Latina é marcada pela violência e as desigualdades sociais, fazendo com que a educação seja o meio de desenvolvimento e acesso à direitos para o pleno exercício da cidadania. As políticas educacionais do Mercosul objetivam a promoção de uma cultura de paz entre países regidas pela democracia e respeito, aos direitos humanos e ao meio ambiente na promoção da educação para todos em que haja qualidade, fundamentada pelos princípios da inclusão e desenvolvimento social, dessa forma, a retirada do Brasil do sistema de educação da Mercosul, motivada por fatores econômicos e ideológicos prejudica o avanço que havia sendo conquistado no setor educacional a partir da integração dos países membros para a elaboração de políticas e programas para a ampliação do acesso e permanência de todos nos processos educacionais.

Palavras-Chave: 

Brasil; Políticas educacionais; Desenvolvimento econômico e social.

PDF_ico.png