O EDUCADOR À LUZ DE GRAMSCI E FLORESTAN: CONTEXTUALIZAÇÃO DA PRÁTICA À REALIDADE NA PERSPECTIVA DA EMANCIPAÇÃO HUMANA

Janiara de Lima Medeiros

Resumo

O filósofo italiano Antônio Gramsci (1891 – 1937) e o sociólogo brasileiro Florestan Fernandes (1920 – 1995) se preocuparam com as transformações sociais e deixaram legados preciosos para a formação do indivíduo como um ser que deve desenvolver seus próprios raciocínios, o que deixa muitas das convenções sociais às margens da reflexão altruísta e desenvolvimentista para a emancipação humana. Cada um, como intelectual do seu tempo, refletiu acerca de questões sociais e as possibilidades que consideravam capazes de mudar os caminhos pelos quais a humanidade poderia trilhar, o que, porém, não se transformaram em práticas condizentes com elas. Este artigo buscou perquirir a formação, a atuação e a atualização do educador brasileiro considerando a realidade da atual educação nacional à luz desses pensadores e seus legados.

Palavras-Chave: 

Florestan Fernandes; Antonio Gramsci; Teorias e Práticas; Educador brasileiro e Educação Nacional.

PDF_ico.png