INCLUSÃO E AS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

Edna Maria da Silva Barreto

Resumo

A democratização do ensino público, bem como a chamada construção da escola de massas e a "explosão escolar" coincidem com o crescimento exponencial dos alunos ditos com "dificuldades de aprendizagem". Esta generalização remete para o domínio individual de cada indivíduo, e se torna um fenômeno social que é seletivo, massivo e precoce. Por outro lado, confunde-o com aos outro fenômeno, de âmbito muito restrito, relacionado com atributos individuais de alunos que apelam a um atendimento específico, sob a forma do que se designa por "educação especial". Estes acontecimentos ocorrem com a uma forma de exclusão de pessoas com necessidade especiais. Neste artigo pretende-se, por um lado, criticar a pertinência do uso generalizado do conceito de "exclusão", bem como, naturalmente, da sua transposição para a realidade educativa e escolar, o que está na origem de raciocínios simplistas e de uma oposição redutora entre "escola exclusiva" e "escola inclusiva". Com isso, pretende-se, por outro lado, esclarecer o efeito negativo dessa exclusão, como um conjunto de conceitos que têm vindo a ser objeto de um alargamento abusivo do seu âmbito.

Palavras-Chave: 

Dificuldades de aprendizagem; Escola Inclusiva; Interação; Habilidade.

PDF_ico.png