CONCEPÇÕES DA INFÂNCIA PRÁTICAS EDUCATIVAS, CURRÍCULO E AVALIAÇÃO NO CONTEXTO ESCOLAR

Andreia Medalha Paulino

Resumo

Para iniciar esse artigo sobre “Concepção de Infância” precisei buscar na BNCC da Educação Infantil o seu termo e constatei que “Concepção de Infância significa compreender a criança como centro do processo. Trata-se de compreendê-la como capaz. Capaz de fazer, capaz de brincar, de aprender e ensinar”. É no decorrer do século XVII que se dão os primeiros passos para a separação do adulto e da criança, por meio da escolarização. Antes, por não haver a distinção entre idades, todos aprendiam da mesma maneira e sobre as mesmas temáticas. No fim deste século que se puderam notar as primeiras mudanças em relação à infância. Hoje sabemos que nossas crianças são consideradas como sujeitos de suas próprias aprendizagens, capazes de aprender e ensinar e com direitos garantidos pela Constituição Federal e pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, mas antigamente a criança, mesmo considerada como “adulto em miniatura”, não era vista, tão pouco ouvida.

Palavras-Chave: 

Infância; Práticas Educativas; Aprendizagens.

PDF_ico.png