TEA E AS TENDÊNCIAS AGLUTINADORAS:

Fabiana Galvão Romeiro Nunes

Resumo

O educador deve estar atento a todo momento ao aluno autista, acompanhá-lo e conhecê-lo bem, para que assim se possa avaliar e mensurar quais aptidões o aluno traz das vivências em família e quais precisam ser estimuladas. Adquirir talentos para viver em sociedade o mais normal possível é tarefa árdua do educador, pois ao descobrir seus interesses o educador acessará o uso dos materiais mais adequados para a abordagem significativa do ensino. O fato de que a escola é o melhor lugar para a progressão de muitas crianças com autismo, pelo menos na pré-escola, está bem estabelecido. Estamos certos de que o melhor lugar para essas crianças é na escola, ao lado de seus pares. É muito importante dar-lhes essa chance para que aprendam a se socializar adequadamente; a escola será o lugar privilegiado para a generalização da aprendizagem realizada no cuidado educacional. A evolução futura, para além, dependerá muito da progressão da criança.

Palavras-Chave: 

Autismo; Educação; Tecnologia; Família; Escola.

PDF_ico.png