RELATO DE EXPERIÊNCIA DA RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA DE QUÍMICA NA ESCOLA DO LICEU DO CONJUNTO CEARÁ DURANTE TEMPOS DE PANDEMIA DO COVID-19

José Augusto Fernandes de Meneses, Micheline Soares Costa Oliveira, Regis Evaristo de Pinho

Resumo

Com o início da pandemia do COVID-19, instituições e escolas que ofereciam a modalidade de curso presencial para os estudantes tiveram de migrar o ensino para o meio remoto virtual, onde diversos estudantes encontraram dificuldades de ensino e aprendizagem contudo, formação docente inicial é de suma importância para o desenvolvimento profissional do licenciando. Nessa perspectiva, a CAPES lançou em 2011 o programa de residência pedagógica, possibilitando aos estudantes formação inicial na educação, fazendo com que estudantes do curso de licenciatura em química se habituassem a atuarem de forma presencial nas escolas. O presente trabalho teve como objetivo analisar as contribuições do PIRP no contexto de distanciamento social e ensino de forma de remota, no aperfeiçoamento da prática docente dos licenciandos do subprojeto de Química da UECE. O método de pesquisa adotado foi de forma qualitativa. Os dados foram coletados por meio de um formulário eletrônico disponível na internet composto por nove perguntas. Oito participantes da escola campo EEM Liceu do Conjunto Ceará responderam participaram da pesquisa. Entendeu-se que, apesar de não estarem habituados ao ensino remoto, a residência pedagógica apresentou resultados significativos no processo inicial de formação docente. A pesquisa demonstrou também algumas das dificuldades dos residentes no período do programa, as ferramentas digitais utilizadas, além de suas dificuldades e superações.

Palavras-Chave: 

Ensino de Química; Residência Pedagógica; Pandemia da Covid-19;

PDF_ico.png