PERCEPÇÕES SOBRE VIOLÊNCIA FEMININA: O QUE A ESCOLA TEM COM ISSO? É POSSÍVEL SUA CONTRIBUIÇÃO NA CONSCIENTIZAÇÃO E ERRADICAÇÃO DOS ABUSOS?

Soraia Souza Cardoso

Resumo

O presente texto surge a partir da leitura da trilogia “Princesa” de Jean Sasson, que evidencia a soberania masculina que impera no oriente seguindo os princípios políticos e religiosos dessa cultura distante da nossa, mas que se aproxima pela violência psicológica e física causada às mulheres do ocidente que muitas vezes, silenciam sua dor por achar-se culpadas ou conformadas com a situação.. Descreve o relato de algumas narrativas de violência contra mulheres que são veiculadas diariamente nos meios de comunicação e outras que perpassam com vítimas de convívio próximo. A naturalização da violência contra essas mulheres despertou o interesse em compreender o cerne do patriarcado, iniciado no princípio da humanidade e que permanece presente em nossa sociedade arraigado em costumes e hábitos que se tornaram comuns, revelando aspectos do machismo presente e descreve algumas iniciativas implementadas via políticas públicas e outras que discorrem algumas possibilidades em busca de caminhos que propiciem a sororidade entre gêneros. O assunto é de grande relevância, no entanto, pouco abordado com profundidade, fato que se faz questionar o papel da educação na inserção dessa discussão dentro do espaço escolar.

Palavras-Chave: 

Educação; Violência doméstica; Violência feminina.

PDF_ico.png