AS RELAÇÕES DAS EMPRESAS DE ECOTURISMO
COM A SUSTENTABILIDADE EM MARACAJAÚ

Beatriz Silva do Nascimento, Sabrina Emilly Chaves Elcias, Luiza Maria Fontes Cortez, Maria da Glória Fernandes do Nascimento Albino

Resumo

O Rio Grande do Norte tem sido uma região turística bastante procurada no Brasil por sua beleza natural e vultosas praias em um litoral com mais de 400 Km. Por ser responsável por uma das principais receitas do estado, as práticas turísticas preservacionistas são necessárias para a manutenção da atividade sem riscos de provocar prejuízos ambientais frequentes que impossibilitem a sua manutenção. Na perspectiva de empreender uma aproximação da problemática que envolve a sobrevivência dos Parrachos na região de Maracajaú sob pressão contínua do turismo, o presente artigo, visa analisar de forma qualitativa, a promoção das atividades turísticas veiculadas na internet, em relação aos serviços oferecidos pelas empresas que atuam na região. Os dados foram coletados por meio de consultas aos sites das empresas que realizam atividades turísticas na praia de Maracajaú, a partir dos comentários realizados pelos turistas nas plataformas digitais. A análise se baseou nas prerrogativas do ecoturismo de acordo com os documentos oficiais brasileiros, por exemplo as Diretrizes para Políticas Nacionais, demonstrando que frente ao turismo praticado pelas empresas, mesmo aquela que autodeclara praticar ecoturismo, é repleta de lacunas informacionais e estruturais acerca das práticas sustentáveis nas quais se ampara o ecoturismo. Os resultados indicam a necessidade de trabalhos que relacionem a manutenção das atividades turísticas realizadas na região e a sobrevivência desse ambiente.

Palavras-Chave: 

Turismo; Ecoturismo; Educação ambiental.

PDF_ico.png