AS CONSEQUÊNCIAS DA AUSÊNCIA PATERNA NA VIDA DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Paula Dassie Moreno Marabesi

Resumo

É importante ressaltar que: desde os primórdios a relação social foi sendo construída pelos vínculos afetivos que foram sendo estabelecidos para que ocorresse a manutenção e sobrevivência da vida humana. Na construção social surgem papéis sociais delegados a cada membro do grupo familiar, cujo objetivo é a sobrevivência da prole e a perpetuação da espécie. Dessa forma, os pais têm papel importante na formação do indivíduo. A criança consegue contar com pais afetivos que lhe proporcionem apoio, conforto e proteção, esta é capaz de desenvolver estruturas psíquicas hábeis e seguras para enfrentar as dificuldades da vida. Enquanto o inverso ocorre, quando a criança vive a privação paterna, seja física ou afetiva, podendo ter problemas no seu desenvolvimento. Sendo assim, o objetivo desse artigo é o de orientar pais, professores, gestores, ou seja, a sociedade como um todo sobre os problemas psicológicos, tais como a falta de educação, rebeldia, delinquência, como a procura por drogas, gravidez precoce para as meninas e entrada no crime, tráfico de drogas para os meninos, além da violência e agressividade que esses jovens cometem devido à ausência paterna. Afinal, as pessoas apenas devolvem para o mundo, o que elas recebem. Concluindo, a literatura indica que a participação efetiva do pai na vida de um filho promove segurança, autoestima, independência e estabilidade emocional.

Palavras-Chave: 

Pai; Adolescente; Afeto; Escola; Família.

PDF_ico.png