A INCLUSÃO SOCIAL NOS ANOS INICIAIS DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO

Solange Plaça

Resumo

Todos os textos aqui reunidos reconstroem e analisam experiências pedagógicas, que colocam essas questões e, que tentam encontrar saídas para a construção da escola possível para todos, sem exclusão. Compreender a escolarização como um requisito necessário ao exercício pleno da cidadania significa atribuir-lhe o status de direito. Assim, o que há pouco tempo era um privilégio, transformou-se em direito e uma parcela considerável da população que sequer sonhava com a sala de aula, hoje, nela está. Tal modificação fez surgir novas demandas, quase sempre em forma de dificuldades e deficiências da sociedade, do sistema, dos professores, da comunidade, dos conteúdos, das metodologias e outras. Como seres pensantes, os educadores precisam explicitar suas concepções educacionais, filosóficas e ideológicas, pois, em grande parte, são elas que fundamentam e explicam seu comportamento durante a aula, suas opções metodológicas e o sistema de avaliação que adotam. Para isso, na escola, devemos sem medo, manifestar nossos conhecimentos, dar a conhecer os fundamentos e os valores nos quais baseamos nossa prática, confrontá-los com os dos outros agentes educativos, para que, juntos, reorganizemos nossas ideias e estruturemos ações coletivas.

Palavras-Chave: 

Construção da Escola; Exclusão; Concepções Educacionais; Concepções Filosóficas; Concepções Ideológicas.

PDF_ico.png