A PEDAGOGIA DA ESCUTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Marinalva Santos Ribeiro

Resumo

Em conformidade com o Currículo da Cidade de São Paulo- Educação Infantil (BRASIL, 2019), as crianças de um grupo, apesar de viverem em um mesmo território sócio-histórico-cultural, não podem ser vistas de forma massificada, como se todos fossem iguais, como se tivessem a mesma história e as mesmas características. As crianças, com suas experiências e suas possibilidades de viver a infância, produzem um processo de ressignificação pessoal e constroem continuamente as suas identidades pessoais e sociais. Reconhecer os bebês e as crianças reais e concretas que frequentam as instituições de Educação Infantil como produtoras de cultura é propiciar as condições essenciais para o acesso a processos de apropriação, renovação e articulação de conhecimentos e aprendizagens nas diferentes linguagens, assim como o direito à brincadeira, à convivência e à interação com outras crianças. Considera-se que o educador da infância deve ser um bom observador e mediador, além de desenvolver técnicas, realizar uma escuta atenta e sensível e assim, reconhecer que bebês e crianças são produtores de culturas, que aprende e modifica o meio em que vive, capaz de conduzir sua ações sendo protagonistas de suas próprias histórias.

Palavras-Chave: 

Pedagogia da escuta; Bebês; Crianças; Educador da infância.

PDF_ico.png