O LÚDICO NA INFÂNCIA: BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS

Maria Cristina Corino da Fonseca Ishikawa

Resumo

Esse artigo apresenta uma reflexão sobre a importância das brincadeiras e dos brinquedos que ficam marcados na infância, são regadas por um mundo de imaginação de contos de fadas, heróis e recheados com muitas fantasias. É uma construção minuciosa e de grande riqueza da ludicidade na vida da criança, que lhe ajudará em seu crescimento e futuro pessoal social e cultural. Como dizia o Ivan Cruz (artista plástico que em 1990 pintou seu primeiro quadro com tema de sua infância): “A criança que não brinca, não é feliz, ao adulto que quando criança não brincou, faltou-lhe um pedaço no coração”. É pensando nesta questão que desejo mostrar os benefícios que a fase da infância traz para vida de nossas crianças, começando pelo desenvolvimento físico, intelectual e social, relacionam as ideias e as criatividades, estabelecem relações lógicas, expressão corporal, habilidades sociais e, assim, ajudando na construção de seus conhecimentos. Refletir sobre as fases e faces do brincar e dos brinquedos na infância, no desenvolvimento e construção dos seus saberes, por meio da ludicidade, é navegar num mundo de imaginação e fantasia com os contos de fada e o uso da criatividade advinda do íntimo e natural do ser; da natureza; das relações sociais pré-estabelecidas - com o já conhecido e com o desconhecido, trazendo inspiração e conteúdo para o crescimento e composição do repertório histórico social da criança. É preciso lembrar que brincar é um direito fundamental de todas as crianças e que, cada uma delas deve estar em condições de aproveitar as oportunidades educativas voltadas para a satisfação das suas necessidades básicas de aprendizagem, pois uma criança que brinca, que vive essa infância concomitante com as condições básicas de sobrevivência, tende a ter uma vida mais saudável e assim, se tornar protagonista de sua própria história com mais ênfase e condições de escrevê-la e contar ao mundo em gestos e ações, sendo assim, papel fundamental da educação, promover a integração do corpo, da alma e do espírito – isto é, do pensar, do sentir e do agir. Escola, família e poder público, devem oferecer oportunidades para a construção do conhecimento infantil por meio da descoberta e da invenção, que são elementos primordiais e indispensáveis para a interação e a participação ativa da criança no seu meio social, nos contextos vividos e nas decisões sociais que dizem respeitos à sua própria infância, plantando assim, a semente da cidadania, dos direitos e deveres e da participação social – pensando em sua formação de qualidade para vida adulta, sem corromper ou pular etapas da infância que o façam desfrutar de momentos tão marcantes, históricos e valioso na composição da vida humana . O objetivo geral deste artigo é discorrer sobre como a ludicidade auxilia no desenvolvimento físico, afetivo, intelectual e social das crianças, afinal, é por meio dela que as crianças formam conceitos, relacionam ideias, estabelecem relações lógicas, desenvolvem a expressão oral e a expressão corporal, reforçam habilidades sociais, reduzem a agressividade, além de promover a integração dos mesmos na sociedade, auxiliando na construção do seu conhecimento. A metodologia utilizada na elaboração deste estudo é a pesquisa bibliográfica, com base em autores renomados no assunto em questão.

Palavras-Chave: 

Brinquedos e Brincadeira; Desenvolvimento Infantil; Mundo Imaginário e Lúdico.

PDF_ico.png