GESTÃO DEMOCRÁTICA:
DESAFIOS E POSSIBILIDADES NA PRÁTICA DA GESTÃO ESCOLAR AS CONTRIBUIÇÕES PARA A GERAÇÃO DA QUALIDADE NO ÂMBITO ESCOLAR

Ivone Iane da Silva

Discutir o processo de construção coletiva na perspectiva da gestão é falar em um processo de aprendizado e de luta política que não se circunscreve aos limites da prática educativa, mas vislumbra, nas especificidades dessa prática social e de sua relativa autonomia, a possibilidade de criação de canais de efetiva participação e de aprendizado do jogo democrático e consequentemente, do repensar das estruturas de poder autoritário que permeiam as relações sociais e, no seio dessas, as práticas educativas. Nesse sentido, abordamos, naturalmente, a questão da participação e do trabalho coletivo. Vivemos em uma sociedade que se diz democrática nas decisões e nas ações, contudo, a averiguação da realidade suscita alguns questionamentos e reflexões na busca de respostas sobre a democratização nas relações administrativas cotidianas, formalmente garantidas por lei. E mais, pensando na realidade educacional, como se estabelece a democracia nas escolas? Qual devem ser o papel do diretor na organização educacional e também a investigação sobre como se efetiva o processo democrático em um ambiente de aprendizagem coletiva? Consideramos neste trabalho, a minha experiência enquanto gestor de escola pública e a reflexão sobre a relação da escola com a comunidade, suas fragilidades e anseios, seus limites e possibilidades, questionando a cultura organizacional escolar e o papel do Diretor nesse contexto, apontando novas abordagens para os desafios da Gestão Democrática e os anseios da comunidade escolar em participar e assumir responsabilidades frente à escola pública.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Autonomia; Gestão Democrática; Planejamento.

Baixar texto completo

PDF_ico.png