ENSINO REMOTO EM MEIO A PANDEMIA E A DESIGUALDADE SOCIAL

Karen Santos D’Oliveira

Eliane Alves de Souza

A pandemia causada pela COVID-19 trata-se de uma realidade mundial; tal fato desencadeou uma emergência em saúde, e consequentemente, acabou repercutindo entre os mais diversos segmentos: sociais, econômicos, políticos, financeiro, educacionais etc. O distanciamento social e a Educação a Distância (EaD) são descritos como meios alternativos para conter a propagação da doença. Com a chegada do vírus no Brasil em março/2020, tornou-se imperativo remodelar a educação brasileira, entretanto, as adaptações embora pertinentes, estas não foram bem estruturadas, principalmente para satisfazer às necessidades dos alunos que compõe a rede pública de ensino. Diante de tal contexto, o ensino remoto fomentou e evidenciou a desigualdade social e a própria exclusão dos alunos em piores condições socioeconômicas, além de comprometer o acesso e a qualidade do ensino. O objetivo da pesquisa é apresentar a COVID-19 no Brasil e no mundo, analisar as práticas de ensino remoto e os fatores que impulsionam a desigualdade social, descrever as implicações do ensino remoto para os alunos que irão realizar o Enem, e, identificar as políticas públicas, bem como as formas de gestão durante o período de enfrentamento da pandemia. Adota-se como método de pesquisa a revisão bibliográfica documental, tendo em vista a possibilidade de reunir o pensamento de renomados autores por meio de livros, revistas, teses, dissertações, entre outros, logo, versam sobre o tema e possuem opiniões de grande relevância para a construção da pesquisa.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Pandemia; Ensino Remoto; Desigualdade Social.

Baixar texto completo

PDF_ico.png