ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NOS CURSOS DE LETRAS E SUAS IMPLICAÇÕES NO LETRAMENTO LITERÁRIO NA EDUCAÇÃO BÁSICA

Francisco Fábio Pinheiro de Vasconcelos

Estudiosos do processo de ensino/aprendizado de Língua Portuguesa apontam para sua ineficiência na escola púbica brasileira. A escola tem fracassado na formação de leitores, no letramento literário e incapaz de constituir estudantes produtores de textos críticos. A disciplina Língua Portuguesa no Ensino Básico ainda permanece, em muitos casos, associada a uma prática reducionista: o ensino da gramática tradicional é mantido na maior parte das aulas e a leitura de textos relegada a um plano secundário. O resultado dessa prática obsoleta é a não formação de leitores de textos e o não domínio da língua (gem) em suas diversas modalidades. As pergunta/problemas que se impõem neste estudo são: o graduando de letras tem uma formação adequada para promover a leitura e o letramento literário na educação básica? Como são as vinculações entre as disciplinas de Literaturas e Teoria Literárias nos cursos de Letras e como elas contribuem para a aplicação ou não do que se é discutido/aprendido no ensino básico? Portanto, deseja-se aqui refletir criticamente sobre o ensino de Língua Portuguesa na escola, aprofundando o letramento literário. Para tanto averiguaremos o perfil almejado para o graduando de letras, abalizaremos, a partir de indicadores oficiais, os níveis de proficiência em leitura dos alunos brasileiros. Por fim encaminhamos reflexões que despertem nos profissionais da Educação Básica a importância de se privilegiar a leitura do texto como meio de domínio efetivo da língua (gem).

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Formação docente; Letramento literário; Educação Básica.

Baixar texto completo

PDF_ico.png