A CRÍTICA SOCIAL EM CAPITÃES DA AREIA:
UMA ANÁLISE VIA LINGUÍSTICA SISTÊMICO - FUNCIONAL

Ricardo Mendes Montefusco

O presente artigo examina a crítica social no romance Capitães da Areia, de Jorge Amado, uma narrativa de cunho realista, que trata das aventuras de um grupo de meninos de rua, os "capitães da areia", que sobrevive de delitos praticados nas ruas de Salvador. A análise apoia-se nas propostas teórico-metodológicas da Linguística Sistêmico-Funcional, cuja característica de conceber a língua como construtora de três significados ― ou metafunções ― a saber, experiencial (envolvendo ideacional e lógica), interpessoal e textual, contribui para revelar a relação entre as escolhas léxico gramaticais, feitas na microestrutura do texto, com a macroestrutura da ideologia e das relações de poder. A análise conta também com a proposta da Linguística Crítica, que atribui significação ideológica a qualquer aspecto da estrutura linguística. A pesquisa deverá responder às seguintes perguntas: (a) Que escolhas no sistema da transitividade, da metafunção ideacional, contribuem para possibilitar a crítica social em Capitães da Areia? (b) Qual é o papel da avaliatividade, da metafunção interpessoal, nesse processo?

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Capitães da areia; Linguística Sistêmico-Funcional; Crítica Social.

Baixar texto completo

PDF_ico.png