GERONTOLOGIA EDUCACIONAL:
DIFICULDADES E ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM PARA ESTUDANTES DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DA TERCEIRA IDADE

Izabel Cristina Barbosa de Oliveira

A terceira idade traz mudanças e transformações físicas e biológicas significativas nas pessoas. Apesar das degenerescências de ordem física ou psicológica, a idade não impede a aprendizagem de algo novo. É necessário formar profissionais que venham atuar na gerontologia educacional de maneira significativa. Lima (2000), explica que a partir dos 60 anos há uma perda considerável da capacidade de memorização e concentração. Algumas dificuldades de aprendizagem de um idoso são: lentidão no raciocínio; diminuição natural das capacidades visuais e auditivas; e, lentidão na mobilidade nas capacidades motoras em geral, Paiva (1999). Entretanto, trabalhos mostram que caso o idoso não seja acometido de nenhuma doença que afete as células cerebrais, nenhum destes processos que fazem parte do envelhecimento afetam a capacidade de aprender. Para Boruchovitch, et al (2006), as estratégias de aprendizagem podem facilitar a aquisição, o armazenamento e a utilização das novas informações. Tanto o caráter lúdico, quanto um material de apelo visual podem auxiliar no processo de aprendizagem do idoso, Cardoso, et al (2015). Além disso, patologias relacionadas à memória podem ser prevenidas afastando fatores de risco, proporcionando um envelhecimento mental saudável, Soares (2006). Os objetivos deste trabalho foram: identificar dificuldades no processo de aprendizagem de estudantes da terceira idade; analisar algumas estratégias de aprendizagem utilizadas para este público; e refletir sobre quais benefícios a aprendizagem de uma língua estrangeira traria para a saúde mental destes idosos. Este trabalho é de cunho bibliográfico e para seu desenvolvimento, foram feitas pesquisas em artigos, teses e dissertações disponíveis na internet.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Terceira idade; Gerontologia; Estratégias de aprendizagem; Saúde mental.

Baixar texto completo

PDF_ico.png