EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: LIBERTARISMO E EMANCIPAÇÃO

Regiane Gomes

Na presente pesquisa, temos por principal lastro as questões que orbitam em torno da modalidade Educação de Jovens e Adultos. O recorte mais específico foi a potencialidade crítico-reflexiva que existe nessa modalidade em decorrência das especificidades de seu alunado, marcadamente a bagagem de experiências vivenciadas. Portanto, a argumentação se desenvolve a partir do reconhecimento da educação enquanto artefato mediador de construções de saberes compartilhados e, nesta medida, o aluno de EJA apresenta peculiaridades específica para o estabelecimento de relações dialógicas em contextos de ensino-aprendizagem. Nessa direção a argumentação apresentada aqui concorre para a superação da ideia da Educação de Jovens e Adultos enquanto assistencialista no sentido de suprir uma “quantidade” de escolarização que não foi adquirida em momento supostamente ideal. Tanto não se defende aqui que exista momento ou tempo certo para aprendizagens, quanto não se compreende a escolarização do viés quantitativo. Por conseguinte, a defesa que se faz aqui é de uma concepção de educação libertária e emancipadora, encontrando refúgio potencialmente profícuo na Educação de Jovens e Adultos.

RESUMO:

Palavras-Chave: 




Educação de Jovens e Adultos; Educação Reflexiva; Conhecimentos e Saberes Compartilhad

Baixar texto completo

PDF_ico.png