APLICAÇÃO DO DESENHO INFANTIL NA INCLUSÃO SOCIAL DOS SURDOS

Almir Ernesto da Silva

A escola sempre teve a missão de ensinar e de transmitir aos seus alunos o conhecimento e valores para desenvolver o indivíduo como cidadão. Um dos valores a serem transmitidos, respaldados na Lei Brasileira de Inclusão, é o respeito às diversidades, uma vez que o acesso à escola promove o desenvolvimento social e oferece às crianças a oportunidade de lidar e construir laços com pessoas de fora das suas famílias, sobretudo com pessoas diferentes ou com necessidades especiais. Dessa forma, as crianças com necessidades especiais também se sentirão acolhidas e terão o seu espaço na escola para que possam desenvolver seu intelecto, suas habilidades e suas capacidades. Para transformar a escola em um espaço inclusivo deve-se contribuir para que todos tenham igualmente a oportunidade de desenvolver suas capacidades, buscar suas aspirações e crescer nutrindo valores de respeito ao outro e às diferenças. Outro aspecto importante é adotar medidas que respeitem o ritmo de aprendizagem de cada aluno e ofereça recursos de acessibilidade necessários para cada tipo de deficiência, como atividades digitalizadas em braile ou acompanhadas por intérpretes, por exemplo. Dentre os vários recursos que podem ser utilizados para o desenvolvimento dos alunos com deficiência destaca-se a utilização do desenho infantil, como forma de desenvolver os aspectos cognitivos e de integração do aluno na sociedade. O desenho pode ser utilizado desde os primeiros anos do ensino às pessoas com necessidades especiais, sobretudo às pessoas surdas, pois servirá como recurso para acompanhar o desenvolvimento cognitivo do aluno e ao mesmo tempo é uma ferramenta que desenvolve vários aspectos intelectuais e socioemocionais no indivíduo.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Desenho infantil; Inclusão, pessoas surdas.

Baixar texto completo

PDF_ico.png