GESTÃO ESCOLAR PARTICIPATIVA

Veronica Nogueira da Silva

A construção do processo de gestão escolar participativa necessita de mudanças na organização, nas relações e na dinâmica escolar, fundamentada em discussões e implantação de mecanismos para as tomadas de decisões conscientes e coletivas, assim, por meio da participação construída no cotidiano escolar, desenvolvendo a autonomia e a definição de objetivos coletivos. Desta forma, esse trabalho discute e relaciona questões, envolvidas na gestão participativa, necessárias para possibilitar sua implantação. Baseado no referencial bibliográfico, o material pesquisado foi submetido às análises explicativa, descritiva e crítica. Percebe-se com a realização desta pesquisa, que uma escola democrática, participativa e de qualidade requer profissionais engajados e comprometidos com a sua transformação cotidiana, mesmo considerando condições objetivas em que se estabelece o processo ensino-aprendizagem, implicando na construção de um projeto político pedagógico específico, definindo: princípios, diretrizes e metas, definidas coletivamente da prática de mecanismos de ação (Conselho de escola, APM, grêmios escolares, assembleias e eleições) efetivos que viabilizem a participação de toda a sociedade na construção de uma escola de qualidade, pautada em diversos pontos de vista, na prática da democracia e na formação de cidadãos críticos preparados para o convívio e protagonistas da própria vida.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Gestão democrática; Autonomia; Conselho de Escola; Associação de Pais e Mestres; Grêmio escolar.

Baixar texto completo

PDF_ico.png