O PROCESSO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DA NOÇÃO DE COMPETÊNCIAS NOS CURRÍCULOS ESCOLARES BRASILEIROS

Vitor Sacomano de Oliveira

O objetivo l deste artigo é analisar as diferentes definições que o conceito de “competências” assume historicamente, bem como o mesmo se apresenta, a partir dos anos 1970, como uma referência predominante nas prescrições curriculares e nos processos avaliativos. Em outras palavras, a “noção de competências” é um conceito polissêmico. Objetiva-se também verificar a institucionalização da lógica das competências no Brasil; demonstrar como a “noção de competências” pode se confundir, com base na literatura especializada, com o conceito de “qualificação” na educação, principalmente na educação profissional após as reformas no sistema produtivo; contextualizar a institucionalização da “lógica das competências” na educação brasileira no esteio das reformas neoliberais dos anos 1990. A revisão de literatura sobre o assunto, abordando a abrangência do termo competência, o seu uso na educação básica e a sua relação com o conceito de qualificação. Também foi abordada a relação da noção de competências na educação e no mundo do trabalho. Além disso, a bibliografia analisada possibilita estabelecer o debate em torno do ensino por competências, parte do processo das reformas educacionais dos anos 1990, seus limites e potencialidades. Debate realizado no campo do currículo e da avaliação.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Educação básica; Currículo; Competências; Avaliação.

Baixar texto completo

PDF_ico.png