ARTE:
TERRENO FÉRTIL PARA A ABERTURA DE POSSIBILIDADES DENTRO DA EDUCAÇÃO INFANTIL

Letícia Oliveira Macedo

Este artigo tem como objetivo realizar reflexões mediante a construção da Arte, desde o início, durante a Educação Infantil, sob investigação que procura entender o planejamento dos professores na construção de suas aulas artísticas. O que vemos são professores de arte conseguindo os seus diplomas, mas sendo falhos em prover uma educação artística e estética que forneça compreensão do fazer artística como auto expressão. Muito aprendizado seria necessário além do que a universidade vem dando até agora. E este fator está relacionado diretamente com a questão das crianças não estarem habituadas a saírem do ambiente escolar para frequentar exposições, visitar museus, ir ao teatro. Desta forma, entendemos que há dificuldades para isto, mas também há acomodação. A falta destas experiências desfavorece a construção do olhar sensível, pois uma coisa é conhecer por meio de livros e vídeos, outra é estar próximo, vivenciando, experimentando e saboreando aquele conhecimento. A pesquisa instiga o professor a romper com modelos prontos e estereotipados dando oportunidades às crianças para criarem nas aulas de Arte, oferecendo subsídios para que se vislumbre novas práticas pedagógicas em sala de aula para qualificar o ensino de Arte e organizar situações que provoquem a curiosidade tornando a aprendizagem mais significativa e possibilitando apropriação de estratégias pedagógicas para utilização de material concreto; tornar a Arte significativa pela sua contextualização em situações do cotidiano. Busca-se apontar meios para que esse repertório seja ampliado, pois, é por meio dos contatos e das experiências estéticas que criamos conexões com o universo da arte produzindo novos conhecimentos.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Construção do olhar; Arte Contemporânea; Ampliação de repertório.

Baixar texto completo

PDF_ico.png