A INSERÇÃO DO ENSINO DE ARTES NAS ESCOLAS

Ariana Gomes Gonçalves Braga Ramos

Ao longo dos anos muito se debate sobre a necessidade da inclusão da arte na escola de forma mais efetiva. Desde 1971, pela Lei 5692, a disciplina Educação Artística torna-se parte dos currículos escolares. Muitas experiências têm acontecido, mas no contato direto com professores, diretores de escola e coordenadores pedagógicos, as intenções parecem apontar para um caminho interessante, mas é no confronto com a prática pedagógica no campo da arte que se nota a grande distância entre teoria e prática. Muitos equívocos são cometidos e a questão passa batida na maioria das vezes em que se questionam as vivências com a arte. E estes tipos de linguagens são as Artes Visuais, a Dança, a Música e o Teatro. A única forma de ensinar arte é ensinar a ver e sentir a vida e de procurar expressá-la. Ou seja, a arte ensina a se ter um olhar poético da vida. É uma forma de integrar o concreto e o virtual, o sonho e a realidade, numa paulatina construção da identidade e da consciência. Além deste autoconhecimento, a presença da arte na escola possibilita uma infinidade de trocas culturais entre os próprios alunos e com diferentes povos, pelo fato de se ter acesso a diferentes produções artísticas e poder analisá-las de forma crítica. Entender e estimular o ensino da arte nesta perspectiva tornará a escola um espaço vivo, produtor de um conhecimento novo, revelador, que aponta para a transformação.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Arte ; Ensino Fundamental.

Baixar texto completo

PDF_ico.png