“UMA IMAGEM VALE MAIS DO QUE MIL PALAVRAS”:
O PAPEL IDEOLÓGICO DAS REPRESENTAÇÕES ESTÉTICAS SOBRE O NEGRO NO ENSINO DE HISTÓRIA

Talita Amaral Sanches Ferreira

O presente artigo propõe a análise crítica de teorias raciais flagrantemente racistas formuladas a partir do final do século XVIII a partir de representações estéticas sobre o negro que o colocam reiteradas vezes em uma posição de submissão ao passo que a figura emancipadora benevolente é frequentemente representada como uma mulher branca. A partir das análises críticas dessas representações estéticas no ensino de História busca-se o rompimento com a educação tradicional de cunho positivista em que a História é entendida como conjunto de fatos e o discente entendido como um mero receptáculo de informações e dados sobre esses fatos. Busca-se desse modo o rompimento com a ideia de neutralidade da História e da arte, visando o desenvolvimento da interpretação de narrativas, de modo a possibilitar o desvelamento de narrativas ideológicas e o surgimento de narrativas críticas e representações estéticas transgressoras, opostas à estética hegemônica.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Representações estéticas; Ensino de História; Racismo.

Baixar texto completo

PDF_ico.png