LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO INFANTIL

Willian Messias dos Santos

Muito se discute hoje sobre qual a melhor forma e maneira de se trabalhar em sala de aula, todavia sabemos que para isso não temos um receituário pronto e acabado para o professor fazer uso, mas sim formas e meio de buscar recursos para ampliar a capacidade do profissional em solucionar a problemática do aluno alfabetizado-letrado. A aprendizagem do á-é-i-ó-u, aparentemente simples pode ser muito mais difícil de aprender que o nome do herói da revista em quadrinho ou do time de futebol preferido. Deve, pois, ficar claro que na aprendizagem da língua escrita da mesma forma que na linguagem oral: difícil é o que é desprovido de sentido. É por essa razão que as crianças lidam com bastante facilidade com os desafios da linguagem computacional que, embora complexa, é atraente e cheia de significados. Convivendo em um ambiente escolar alfabetizador, isto é, rico em materiais que foram feitos para ler, tais como revistas e jornais, rótulos e embalagens, livros de história e muitos ouros e não apenas em materiais que foram preparados para ensinar a ler – como as cartilhas – o alfabetizando apresentará, provavelmente, um movimento de aproximação em direção a esses portadores de textos nos quais estão presentes, obviamente, as “coisas do mundo” e não, simplesmente, as “coisas da escola”. Neles, é claro, estão todas as letras, fonemas e sílabas do nosso sistema alfabético, de forma contextualizada e agregada em unidade de sentido. O trabalho pedagógico voltado para o letramento tem por objetivo levar à compreensão do “para que se escreve”, isto é, compreender o uso social da escrita. Com diferentes textos e seus portadores, o sujeito poderá compreender também “como se escreve”, aprendendo assim as letras, de uma contextualizada. De posse da compreensão do “para que” e do “com que”, o sujeito poderá avançar em direção ao “como se escreve”, ou seja como as consoantes e vogais se organizam nas diferentes sílabas das palavras. Nesse caso, carregadas de sentidos nos diferentes textos. Estar alfabetizando no mundo de hoje implica em aprender a ler as múltiplas linguagens que se articulam na construção do sentido do texto. Imagine uma propaganda comercial ou um jornal produzido há cem anos. Nesse material, como também nos livros, a Língua Portuguesa aparecia com prioridade quase que absoluta. Algumas fotos e pouquíssimas ilustrações completavam os espaços desses portadores de texto. Agora voltando o olhar para os textos que estão ao redor: outdoor, jornais e revistas, folders, livros didáticos e de literatura, entre outros, encontra-se grande diferenças. Nesse material a Língua Portuguesa perdeu a hegemonia. Disputam o espaço com a linguagem matemática e a linguagem visual, numa diagramação na qual cada uma dessas linguagens completa e se articula com as demais.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Alfabetizado-letrado; Aprendizagem; Linguagem.

Baixar texto completo

PDF_ico.png