A DEFICIÊNCIA AUDITIVA E O ENSINO REGULAR

Luciana de Almeida Rodrigues

Com esse artigo queremos aprimorar os conhecimentos a cerca da deficiência auditiva, que é a perda da audição, ou a perda da habilidade de reconhecer sons ambientais. Buscamos ainda refletir sobre o papel do professor na escola regular no processo de inclusão de alunos com problemas auditivos. Esta limitação pode ser total ou parcial, acarretando problemas em outros aspectos da vida do indivíduo, seja na aprendizagem e na vida em sociedade. A comunicação está ligada ao conhecimento natural de vivência. Quando falamos no deficiente auditivo precisamos saber que o desenvolvimento do comunicar está associado a um trabalho mais cauteloso e cuidadoso. No âmbito educacional encontramos a situação de maior problemática, pois ainda não contamos com professores tão bem preparados quanto esses indivíduos merecem. Com base no ideal da inclusão, podemos observar que há um grande trabalho a ser realizado nas instituições de ensino. Na escola podemos trabalhar diversos aspectos de forma eficaz, porque o deficiente auditivo passa grande parte de seu tempo na escola. Precisamos que os educadores percebam a importância da formação continuada no processo de ensino aprendizagem, pois ela promoverá uma reflexão sobre sua atuação, contribuindo para uma consciência crítica dos envolvidos no processo. Para isso estudamos autores como: BEVILACQUA (1987); CORRER (2003); SALLES (2004), entre outros.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Educação; Deficiência auditiva; Inclusão Educacional.

Baixar texto completo

PDF_ico.png